terça-feira, 4 de outubro de 2011


- Dinâmica da Terra -

ROCHAS


A crosta terrestre é constituída essencialmente de rochas. São elas, juntamente com os fósseis, os elementos que o geólogo utiliza para decifrar os fenômenos geológicos atuais e do passado. A Petrografia ou Petrologia, ramo de ciência geológica, dedica-se ao estudo das rochas, da sua constituição, origem e classificação.

Rocha – é um agregado natural, formado de um ou mais minerais (podendo eventualmente tratar-se de vidro vulcânico), que constitui parte essencial da crosta terrestre e é nitidamente individualizado.
 
De acordo com sua origem, distinguem-se 3 grandes grupos de rochas que são:

Magmáticas ou ígneas; Sedimentares e Metamórficas.

O ciclo das rochas:

O ciclo das rochas representa as diversas possibilidades de transformação de um tipo de rocha em outro.



As setas que interligam as rochas ígneas, sedimentares e metamórficas indicam processos relacionados à dinâmica geológica da crosta terrestre.

As rochas, uma vez expostas à atmosfera e à biosfera passam a sofrer a ação do intemperismo, através de reações de oxidação, hidratação, solubilização, ataques por substâncias orgânicas, variações diárias e sazonais de temperatura, entre outras.

O intemperismo faz com que as rochas percam sua coesão, sendo erodidas, transportadas e depositadas em depressões onde, após a diagênese, passam a constituir as rochas sedimentares.

A cadeia de processos de formação de rochas sedimentares pode atuar sobre qualquer rocha (ígnea, metamórfica, sedimentar) exposta à superfície da Terra.
Os continentes se originaram ao longo do tempo geológico pela transferência de materiais menos densos do manto para a superfície terrestre.
 
Devido à deriva dos continentes, as rochas podem ser levadas a ambientes muito diferentes daqueles onde elas se formaram.

Qualquer tipo de rocha (ígnea, sedimentar, metamórfica) que sofra a ação de, por exemplo, altas pressões e temperaturas, sofre as transformações mineralógicas e texturais, tornando-se uma rocha metamórfica.

Se as condições de metamorfismo forem muito intensas, as rochas podem se fundir, gerando magmas que, ao se solidificar, darão origem a novas rochas ígneas.
 
O ciclo das rochas existe desde os primórdios da história geológica da Terra e, através dele, a crosta de nosso planeta está em constante transformação e evolução.
 

 
Esta publicação foi retirada na íntegra e com referências de http://professorelias.blogspot.com/2010/04/ciclo-das-rochas.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário